O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

A morte

A reflexão desta edição presta homenagem às famílias das seis vítimas de acidentes fatais de trânsito que ocorreram nessa semana. De repente, de uma hora para outra, elas foram acometidas pela única certeza que todos temos na vida: a morte.

Seis vidas ceifadas em acidentes, mas muitas outras que também se foram por outros motivos, como enfermidades. Crianças, adultos, idosos, filhos que se foram antes dos pais, pais que se foram sem ver seus filhos crescidos, namorados que não se despediram, noivos que não se casaram, casais que sequer tiveram filhos, cada qual tem a sua história e a sua marca, a sua ferida por mortes de entes queridos. Mas uma condição é comum a todos: a tristeza, a comoção diante da morte é inevitável.

Ao mesmo tempo em que a morte é uma certeza, é também o assunto mais ignorado por nós, afinal, dificilmente alguém quer se entregar a ela, a não ser que não esteja em estado mental perfeito.

O tempo não volta, infelizmente, então, diante da morte nos resta apenas aprender. Parece que é para isso que uns vão e outros ficam. Aos que ficam, fica a missão de aprender. E o maior aprendizado é o de aproveitar o presente. Vivemos pensando que temos a vida toda pela frente, mas se formos analisar, ninguém tem garantias de que vai estar vivo no segundo seguinte. Cada respiro é um presente de Deus, o qual nem sempre valorizamos devidamente.

Na correria do dia a dia, as pessoas que realmente importam em nossas vidas ou que se preocupam e torcem pela nossa felicidade raramente são as que recebem nossa atenção, um olá, um telefonema, um abraço. Depois que elas se vão, aí nos damos conta de quanto eram importantes, de quantas palavras gostaríamos de falar-lhes, de quantos momentos gostaríamos de poder ter dedicado-lhes.

Mas aí, já é tarde. Por isso, façamos da morte nosso aprendizado diário, façamos dela nossa companheira no sentido de estarmos alertas e atentos a todo o momento de que somente o presente nos cabe, somente ele nos foi concedido, e que uma hora ela virá, seja para buscar algum ente querido ou a nós mesmos. E que nossas lembranças para os que ficarem, nossas sementes nesta vida terrena possam ser as melhores possíveis, as mais humanas, as mais amorosas, pois é disso que o mundo está precisando.

Uma boa semana a todos!

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player