O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

As complicações da Saúde em Bragança

A instabilidade na área da Saúde pela qual a cidade passa, somada à falta de comprometimento com a população bragantina daqueles que gerem a pasta no município, no atual governo, é preocupante.

Novamente, voltam a pipocar reclamações sobre demora de exames, falta de médicos e medicamentos nos postos de saúde. E, de repente, aquele que seria o curinga da Administração Fernão Dias/Huguette simplesmente dá adeus e vai embora.

Na verdade, o secretário Eurico, conhecido também como frei Bento, realmente foi eficiente, se levarmos em conta que uma de suas tarefas era acalmar os ânimos dos vereadores, que incessantemente cobravam do Executivo a cabeça da então secretária Estela, devido à gestão ineficiente que vinha sendo praticada por ela.

Assim que Eurico assumiu, o prefeito Fernão Dias recebeu elogios do Legislativo pela escolha, até de vereadores da chamada oposição, e não mais se ouviram reclamações da Saúde na Câmara, até a última semana, quando foi anunciada a saída de Eurico.

Mas, além disso, o que fez o frei?

Há cerca de um ano e meio, a gestão da Saúde na cidade é compartilhada com a ABBC (Associação Brasileira de Beneficência Comunitária) para os serviços de atenção básica, Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e UPA (Unidade de Pronto-atendimento). Cabe apenas ao município, então, os demais serviços que não estão nesse rol, como o atendimento das especialidades, a realização de exames e cirurgias.

O problema é que a cidade ainda enfrenta problemas de organização, especialmente quanto à marcação de exames, ou seja, a terceirização da Saúde, implantada por meio da gestão compartilhada com a ABBC, reduziu o trabalho do comandante da área, mas ainda assim, problemas antigos são recorrentes. Por quê?

É impossível não imaginar que se trata de uma questão de não considerar a Saúde como prioridade. Analisem, vocês, caros leitores, que a atual Administração realizou a licitação para a Festa do Peão de forma conjunta para os anos de 2015 e 2016. Para que tanto adiantamento assim, se esta não é uma questão prioritária para a cidade? Muito pelo contrário, a realização da festa nos moldes atuais vem sendo questionada por vereadores e pela própria população há alguns anos.

Agora, na Saúde, e também em outras áreas, não se fazem licitações com antecedência suficiente para não se deixar os medicamentos acabarem nos postos de saúde ou a realização de exames simples como ultrassons e raios-X ser possível em curto espaço de tempo, por exemplo.

Além disso, a quarteirização que a ABBC vem promovendo na cidade, contratando prestadoras de serviço, as quais admitem os funcionários e depois os demitem sem sequer garantirem seus direitos trabalhistas, pode estar legalmente amparada, mas, moralmente, não passa nem perto da ideologia sustentada pela bandeira vermelha do PT (Partido dos Trabalhadores), que ora governa a cidade.

No mais, só esperamos que a atual secretária interina ou aquele que vier a ocupar o cargo de secretário da Saúde em definitivo tenha mais comprometimento com a população e não se preocupe apenas com o próprio umbigo ou bolso, até porque, os altos salários que alguns cargos públicos oferecem não passam de pura ilusão, a se considerar as responsabilidades que acarretam.

Uma boa semana a todos!

 

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player