O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Choque de gestão

Novamente foram divulgados dados com relação à Educação estadual e os números são deprimentes. Apesar da melhora em relação ao ano passado, não se pode conceber que índices menores que 3,0 como médias sejam motivo de comemoração, considerando-se que o Idesp vai de 0 a 10.

E o pior é que muita gente comemora. A começar pelo próprio estado, que afirma que os resultados de 2014 são os melhores dos últimos cinco anos. Orgulha-se de avanços que, convenhamos, são uma lástima. Em vez de reconhecer que a Educação estadual está patinando, num sobe e desce de índices que muitas vezes são maquiados pelas unidades escolares em busca de bônus, enaltece os resultados obtidos e insiste em manter uma política educacional na qual só aprende mesmo quem quer, mas quer muito, e então se dedica individualmente.

Na lista dos que estão celebrando efusivamente os resultados do Idesp 2014 estão também os profissionais que trabalham em escolas que alcançaram ou ultrapassaram a meta imposta pelo sistema de ensino estadual. Muitos não estão preocupados em fazer com que os alunos aprendam o conteúdo programático, mas apenas em receber o bônus concedido com base nos resultados obtidos no Idesp. E, para isso, vale praticamente tudo. Vale, por exemplo, aplicar Saresp com questões idênticas às previamente trabalhadas em sala de aula.

Tudo o que acontece nas salas de aula das escolas estaduais pode não ser imaginado pelo governador Geraldo Alckmin, que não teria condições de tomar conta de cada uma delas e, por isso, delega responsabilidades ao secretário de Educação e este, por sua vez, aos dirigentes regionais de ensino. Mas esta batata quente que vai passando de mão em mão está chegando fria às salas de aula, não está surtindo efeito, e isso pode ser visto por ele nos dados apresentados no Idesp 2014. O governador do estado mais rico do Brasil deveria ter vergonha de dizer que a média do Idesp no 9º ano do Ensino Fundamental é de 2,62 e da 3ª série do Ensino Médio é de 1,93. E não bastaria ter vergonha, deveria promover mudanças, um choque de gestão, mas de gestão eficiente, não de maquiagens.

Mais revoltante que os resultados do Idesp 2014 é a estagnação dos cidadãos paulistas que seguem dando de ombros para a realidade da educação pública estadual, completamente sucateada. Nenhuma manifestação organizada por esse motivo, nenhum panelaço, nenhum comentário indignado nas redes sociais, nada. E isso é lamentável.

Uma boa semana a todos!

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player