O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Mais do mesmo

A área de Saúde novamente volta a ocupar o centro das atenções em Bragança Paulista e, infelizmente, não é por bons motivos. Voltando das férias nesta semana, o prefeito Fernão Dias da Silva Leme terá pela frente novas reclamações sobre problemas antigos.

O principal deles é a demora na marcação de exames. Apontamento do vereador José Gabriel Cintra Gonçalves dá conta de que há paciente que aguarda desde dezembro de 2012 para fazer o exame de colonoscopia. Felizmente, esse paciente não deve ter nada de grave, porque se tivesse, a situação já teria se agravado.

Mas e quantos outros estão nesse barco que ora ou outra ameaça afundar? De acordo com o vereador Miguel Lopes, são 600 exames pendentes de realização, o que não significa que 600 pessoas aguardam por exames, pois o mesmo paciente pode estar na fila por mais de um procedimento. Porém, com certeza, são centenas de munícipes esperando por algo que é obrigação do município fornecer.

É injusto que esses cidadãos tenham de recorrer ao pagamento de exames por meio de economias ou empréstimos para enfim saberem o que realmente têm ou que estejam colocando sua saúde em risco, por adiar o conhecimento das prováveis causas para seus sintomas, devido às falhas na gestão do setor.

E faz meses que a Prefeitura de Bragança Paulista não consegue oferecer os exames a contento. As explicações passam pela necessidade de comprar os exames por meio de licitação. Mas, então, impossível não comparar a situação com outras contratações que a Prefeitura faz, também por meio de licitação, e que não atrasam, como a licitação para o Carnaval e Festa do Peão. E note-se que essas são contratações que não interfeririam na saúde de ninguém, a não ser a saúde financeira das empresas envolvidas nesses processos.

A Saúde e todos os processos de compras relativos a ela deveriam ser prioridade em qualquer governo. Parece algo óbvio, simples, mas na prática, a medida vem se mostrando difícil, praticamente impossível de ser executada pela atual administração de Bragança Paulista, o que é lamentável vindo de uma equipe que prometeu mudanças.

É bem verdade que muitas mudanças aconteceram na Saúde, mas até agora poucas foram positivas, como a redução do tempo de espera para atendimento no serviço de pronto-atendimento, seja enquanto ele funcionava no Bom Jesus ou agora, na UPA Dr. Valdir Camargo.

E é claro que quando se fala em mudar espera-se que seja para melhor. Mas, enfim, acreditamos que a população, por sua vez, não pode ficar acomodada também, deve reclamar, se fazer ouvir, seja na ouvidoria do setor ou por meio dos vereadores. Pois só assim demonstrará seu descontentamento e poderá exigir mudanças efetivamente benéficas para este ou qualquer outro setor.

Enquanto isso não ocorrer, continuaremos vendo mais do mesmo.

                              Uma boa semana a todos!

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player