O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

SOU CONTRA O TROCA-TROCA

Penso como o procurador-geral da república Rodrigo Janot: sou contra o troca-troca. De partidos, diga-se. Fidelidade é coisa muito séria. Imagine um marido dando um depoimento “sou casado, mas não concordo com o conceito de fidelidade”. Soa estranho. Por que no caso dos políticos temos que achar normal? Não, senhor. Nas palavras do procurador: “a fidelidade partidária preserva a legitimidade do processo eleitoral e respeita a vontade do eleitor”.

 

PARTIDOS NOVOS, POLÍTICA VELHA

Para que criar partido novo pra fazer política velha? Ainda usando as palavras do procurador geral: “a criação de uma nova sigla muitas vezes é reflexo da conveniência eleitoral momentânea. Até serve como moeda de troca no mercado de interesses pouco nobres”. Precisa falar mais o que?

 

VERGONHA ALHEIA

Sinceramente, fico com vergonha quando vejo o que esses caras fazem na política. Você não?

 

FORAM PROS “PARTIDOS NOVOS” NA TERRA DA LINGUIÇA

Foram pro PROS (esquisito, né?) os vereadores Rafael de Oliveira, Antonio Bugalu e Fabiana Alessandri. O primeiro é novo na política, mas está provando que pensa como um velho. A segunda é velha na política e velha na arte de fazer troca-troca de partidos. Já Bugalu trocou o DEM dos Chedid pelo recém-criado partido pró-Fernão (ou seria pro Fernão? Tanto faz...). Enquanto isso, o vereador Mário B. se mudou para o partido criado para “dar uma força” para seu padrinho político, Paulinho da Força. Os vereadores disseram que “o PROS mostra novas perspectivas de atuação e atendem seus anseios na vida pública”. Que anseios seriam esses?

 

MERECE RESPEITO?

Veja o caso da vereadora Fabiana Alessandri. Ela já foi Zé de Lima, Chedid, Sartori, voltou a ser Chedid e agora é Fernão. Dá pra respeitar um posicionamento político desses? Dá pra acreditar que uma pessoa pode mudar seus ideais tanto assim? Pra mim não dá. Pra mim não dá!

 

E OS USUÁRIOS? QUEM PODERÁ OS DEFENDER?

No meio da “pendenga” envolvendo a Vigilância Sanitária da nossa cidade e o Hospital da Unimed, estão os usuários do plano de saúde. Até agora pouco se falou sobre como eles irão fazer para serem atendidos. E aí?

 

UNIVERSIDADE ABERTA EM BRAGANÇA

Uma boa notícia para a educação bragantina foi a aprovação e sanção da lei municipal que legitima a existência de um polo presencial do programa Universidade Aberta do Brasil (UAB) em nossa cidade. O polo já existe, mas a lei, entre outras coisas, também responsabiliza a Secretaria Municipal de Educação na manutenção e administração de convênios e verbas relativas ao programa. A iniciativa do MEC que instituiu a Universidade Aberta visa dar conta, usando ferramentas da Educação à Distância, de demandas que ainda não são atendidas em nosso país no que se refere ao nível superior de ensino. Como educador, penso que a EaD não é a solução, mas sim um complemento muito interessante à modalidade presencial de ensino. O bom uso dessas tecnologias pode nos trazer grandes avanços, inclusive em nível de pós-graduação.

 

PORTAL DA CIÊNCIA PAULISTA

Imagine você ter acesso a praticamente toda produção científica do Estado de São Paulo em um único portal na internet? Esse é o objetivo de um projeto, já em funcionamento, que une as três universidades estaduais paulistas: USP, Unicamp e Unesp. Pra você ter uma ideia, científico leitor, já estão disponíveis para consultas e downloads mais de 56 mil artigos!

 

PRA FINALIZAR

“Ser mestre não é de modo algum um emprego e a sua atividade se não pode aferir pelos métodos correntes; ganhar a vida é no professor um acréscimo e não o alvo; e o que importa, no seu juízo final, não é a ideia que fazem dele os homens do tempo; o que verdadeiramente há de pesar na balança é a pedra que lançou para os alicerces do futuro.” (Agostinho Silva)

Nota do colunista: isso não quer dizer que não precisamos de aumento.

Felizes dias, professor!

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player