O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

É preciso saber desligar

 

 

Esqueça o trânsito caótico da cidade, a zona política etc... Deixe de lado a cobrança interna, a dívida externa, a tão eterna dúvida. Viver é assim, não há como negar.

Para ficar ligado, é preciso saber desligar. Fácil? Nem tanto. Descobrir qual é o seu tempo é tarefa nobre: exige um grande conhecimento sobre si mesmo. Portanto, esqueça o relógio. Seu tempo está dentro de você. Chega de viver com a ansiedade no colo e o celular na mão. Não deixe a agenda ocupar, sem querer, o lugar do coração. Respeite sua hora. Desacelere. Mais do que correr é preciso saber parar. Não adianta viver no piloto-automático e deixar de sorrir. Nem tirar folga e levar uma enorme culpa dentro da mala.

O mundo lá fora exige produtividade e imediatismo. Aqui dentro, corpo e alma pedem menos, muito menos. Como fazer, então, para conciliar tempos tão diferentes? A resposta não está em livros, mas dentro de cada um. Quer tentar? Respire fundo, desencane... Perca seu tempo com você! É uma responsabilidade enorme desco-nectar-se, eu sei. Mas vida ao vivo é para quem tem coragem. Coragem de arriscar.

Cuidado em saber a hora certa de parar. Difícil? Pode ser. É um exercício diário que exige confiança e um amor incondicional por tudo o que somos e acreditamos. Uma aceitação suave dos próprios defeitos, um rir de si mesmo, um desaprender contínuo, um aprender sem fim sobre o que queremos da vida. Não importa se tudo parecer errado e o mundo virar a cara para você. Esqueça. Se esqueça. Hora de se perdoar.

Eu sei pouca coisa da vida, mas uma frase eu sigo à risca: é preciso respeitar o próprio tempo. Acredito no que diz o silêncio na hora em que a mente cala. O meu silêncio não é mudo e também escreve. Confie em si mesmo, quebre a rigidez, ouse, brinque, viva com mais leveza e desligue-se! Só assim você vai transformar vida em letra e ter coragem e fôlego para ser VOCÊ no momento em que o mundo te atropelar sem licença e disser: chegou a hora!

 

Falando em TV... Nessa semana, meu amigo Alessandro Sabella entrevistou o empresário Rodrigo Morales em seu programa de TV local. O problema é que mais pareceu um programa do Faustão, pois o apresentador falava, às vezes, até palpitava, e o convidado brevemente soltava algumas palavras ao vento. .

 

 

Falando ausência... Na sexta-feira, o secretário de Desenvolvimento Social, Rodrigo Garcia, por meio do governo do estado e a pedido do deputado Edmir Chedid, convocou vários prefeitos de cidades da região que foram agraciados pelo programa "Creche Escola", o qual tem como finalidade atender à necessidade de municípios em oferecer vagas às crianças de zero a cinco anos que ainda não são atendidas por creches. Muito bom! O problema é que o prefeito Jango não compareceu e, mesmo sendo bem representado pela secretária de Educação, ela não pôde assinar o convênio, visto que essa documentação apenas o chefe do Executivo tem poder de assinatura. Que coisa, hein?!  

 

 

 

 

Falando em presença... Já na reunião da Associação das Prefeituras das Cidades Estância do Estado de São Paulo (Aprecesp) e no 56º Congresso dos Municípios, realizado em São Vicente, eventos importantes para Bragança, quem marcou presença foi o secretário de Cultura e Turismo, Raul Lencini.

 

 

Falando em veículos... – O Ministério Público instaurou uma investigação para apurar se houve crime na manutenção do contrato celebrado em 1996, entre a Prefeitura de São Paulo e a Controlar S. A., para a implantação do programa de inspeção veicular. Bloquearam até os bens do prefeito Kassab e de seu secretário. 

 

 

Enquanto isso... – O local de lacração e vistoria de veículos em Bragança, que por sinal é de empresa particular e visa a lucro (e que lucro!), continua sendo no "Garfo Acústico", ou melhor, na "Concha Acústica", que foi construída com dinheiro público, tendo finalidades turística e cultural, mas é cedida gratuitamente a essa empresa de lacração de veículos. Isso pode? Aqui está podendo...

Falando em cultura... Virou moda em São Paulo – Agora, ao entrar num teatro para assistir a um stand-up comedy, você assina um termo de compromisso para confirmar que não ficará ofendido com nada que possa ser dito. Isso para evitar que os artistas venham a ser processados por piadas discriminatórias. Ou seja, o papel vale mais que a sua consciência. Se a moda pega, hein?!

Falando em futebol... O maior fiasco dos últimos tempos. Assim pode ser resumida a passagem do jogador Adriano pelo Corinthians. Ele esteve em campo durante aproximadamente 350 minutos, distribuídos em oito partidas, e fez apenas dois gols com a camisa alvinegra. No período, faturou em salários cerca de R$ 4,2 milhões. E beleza, hein?!

Falando em vassourada... Dessa vez, a vassourada foi para valer. De uma só vez, dois figurões da política em Brasília foram à degola. Um dia depois de o senador Romero Jucá (PMDB-RR) deixar a liderança do governo no Senado, Dilma Rousseff trocou também a liderança do governo na Câmara dos Deputados, até então sob a responsabilidade de Cândido Vaccarezza (PT-SP). Corre que a Dilma vem aí!

Falando em mamata... – Foi só tirar o foco e passaram despercebidas, no meio do noticiário, as lambanças no novo concurso promovido pelo Senado no último final de semana. Trata-se dos supersalários oferecidos aos felizardos que forem aprovados nesse concurso. São de dar água na boca a qualquer profissional altamente qualificado. Confira o tamanho da mamata: os salários iniciais variam de R$ 13,8 mil a R$ 23,8 mil para funções de analista de informática, analista de suporte e enfermeiro. Só isso pode explicar a enxurrada de 157 mil inscrições para 246 vagas! Passar nesse concurso é como ganhar na loteria todo mês para o resto da vida.

 

Falando em política... – O analfabeto político é o pior analfabeto. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe o custo de vida, os preços do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas. O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que, da sua ignorância política, nasce a prostituta, o menor abandonado e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais (Bertolt Brecht).

 

Falando em Festa do Peão... – E, aos 45 minutos do segundo tempo, o juiz de Direito da 3ª Vara Cível desta Comarca deu a sentença que impede a realização dos rodeios profissionais na nossa Festa do Peão. Olha, gente, não é de agora que profissionais de eventos vêm sofrendo com o Judiciário. É claro que o juiz e a promotoria têm argumentos necessários para tal sentença e acredito que a comissão da festa irá resolver tudo. Mas isso serve como exemplo de por que está cada vez mais difícil trazer opções de lazer e entretenimentos para Bragança ou em qualquer cidade. Hoje, não basta ter qualidade, credibilidade e responsabilidade em eventos, na verdade, tem que ter é muita paciência e persistência. Haja saco!

 

 

 

 

 

É OURO! – Advogado – Muita presteza e conhecimento ao meu amigo Jota Mallon, que já foi secretário de Esportes e presidente da 9 de Julho. Radialista e comentarista da FM 102,1, atualmente é advogado e tem exercido sua função com muita eficiência, consquisrtando excelentes resultados naquilo que se propõe a defender. Parabéns!  

 

 

 

 

É LATA! – E não é que o radialista Adriano Pinheiro voltou a atacar com sua parcialidade? Infelizmente, funcionários como esse acabam manchando o bom nome que tem a nossa Rádio Bragança AM, que conta, sim, com exelentes "profissionais", os quais fizeram e fazem a história da rádio. Pessoas muito diferentes de Adriano, que usa seu microfone e redes sociais na internet para denegrir escolas de samba de nossa cidade. Fraquinho, hein?!

 

Frase – " Solteiro, sim, porque quem gosta de compromisso é agenda, quem corre atrás dos outros é a polícia e quem dá satisfação é empregado".  

 

Piada – Rotina dos casados

 

 

 

O marido, com muito cuidado, vai para cama e sussurra suavemente e apaixonadamente no ouvido da mulher:

– Amor, estou sem cueca!

E a mulher, sem abrir os olhos, responde: 

– Amanhã eu lavo uma para você!

Aí ele diz:

– Amor, eu quero amá-la!

Então, ela responde: 

– Está em cima do guarda-roupa.

E, numa última tentativa, o marido fala:

– Amor, você não entendeu? Eu vou amar-te!

E a mulher responde: 

– Escuta aqui, quero que você vá à Marte, Júpiter, para o raio que o parta, mas me deixa dormir!!!

 

Até a semana que vem!

 

Por Fernanda Mello

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player