O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

O GIGANTE BRAGANTINO VAI À CÂMARA

Duas fortes manifestações seguidas mostram o total descontentamento da população no que se refere à atuação da Câmara Municipal. Pode parecer duro demais generalizar, mas entre um jogo político e outro, o fato é que nem os vereadores mais experientes acabam tendo condições de legislar e fiscalizar o Executivo como se deve. Não é só uma questão de gastos excessivos e abuso do dinheiro público, como cobram os manifestantes. É por um Legislativo mais atuante. Nesta legislatura, a pauta das sessões se mostra cada vez mais reduzida (prova disso é que a penúltima sessão não durou nem vinte minutos). Pouquíssimos projetos de lei apresentados, tendo a atuação dos vereadores muitas vezes se resumido a indicações de “votos de pesar”, como há algumas sessões destacou o vereador Juzemildo. As manifestações mostram que o povo bragantino, embora não tão gigante, está realmente acordando (com o perdão do jargão em nível nacional). Não quer mais saber de vereadores que atuam em próprio benefício, negociam cargos de confiança com a Prefeitura e apenas jogam migalhas de assistencialismo para seus eleitores. O povo quer fiscalização dos atos da Prefeitura, postura firme perante a prestação dos serviços públicos e que os vereadores realmente façam valer o seu papel de legisladores na cidade. Será que é pedir muito? Eu acho que não.

 

MANIFESTANTES CONSEGUIRAM REUNIÃO

A presidência da Câmara, depois de literalmente muito barulho, topou uma reunião na próxima quinta, 18, às 17h, com representantes do movimento para discutir formalmente as reivindicações. Maravilha. Dialogar com o povo é, sim, uma atitude louvável, só não pode ficar somente no blablablá. O povo está carente de atitudes e ações dignas de seus representantes.

 

UPA VILA DAVI... UM “UPA”

PRA FUNCIONAR...

O que era pra ser motivo de comemoração, até agora só foi motivo de polêmica. A UPA da Vila David, que há tempos vem sendo prometida, ainda não está funcionando (está prometida pra agosto, tomara que não seja de Deus...). Sem contar o fechamento do Pronto Atendimento Bom Jesus. Vale lembrar que essa não é uma questão só do Governo Fernão, é batata quente das administrações passadas. Mas no fim das contas, o povo ó...

 

PRA DEBAIXO DO TAPETE DE PAULÍNIA

Às vésperas do encerramento do contrato entre a cidade e a Embralixo, ocorreu um problema de deslizamento de terra e consequente descolamento do lixo no aterro sanitário do município, que estava sob a responsabilidade da empresa. Ao que indica a Secretaria de Serviços e o Jurídico da Prefeitura, já houve um aditamento de um ano no contrato de prestação de serviços referentes à coleta de lixo em Bragança. Enquanto o problema do aterro não é resolvido, nosso lixo está sendo transportado pra Paulínia, com custos pagos por todos nós cidadãos bragantinos. Só tem um “pequeno detalhe” nessa história: o Ministério Público aponta que desde 2008 o aterro pode ter atingido o seu limite operacional. As consequências? Danos ambientais graves, como a contaminação do lençol freático pelo chorume. O passivo ambiental vai ficar pro município (ou seja, pra todos nós) e a Embralixo não vai ser responsabilizada? No aguardo das decisões da Justiça.

 

CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE CULTURA

O Sistema Nacional de Cultura – uma bola dentro do Ministério da Cultura, diga-se de passagem – vai servir, entre outras coisas, para alinhar as diretrizes das políticas públicas voltadas à Cultura por parte dos municípios, estados e União. Deve também facilitar as coisas no encaminhamento das verbas destinadas aos projetos culturais das cidades. Para aderir a ele, entre outras coisas, a Terra da Linguiça precisa ter um Plano Municipal de Cultura e para elaborá-lo, precisa realizar a sua primeira Conferência Municipal de Cultura. Por meio dela, a Secretaria Municipal de Cultura, o Conselho Municipal de Cultura, a comunidade artística e a sociedade civil poderão discutir o que pensam e como querem desenvolver a Cultura em nossa cidade nos próximos anos. Tais discussões servirão de base para a construção do plano que, ao menos em tese, colocará Bragança na “rota cultural” do Estado e do País. Sem contar que facilitará muito a atuação tanto da SMCT, quanto do COMCULTURA, que terão um documento básico para ser seguido, aplicado e fiscalizado, independente de quem esteja comandando a pasta ou o Conselho. Você, caro leitor, que se interessa e sabe da importância da Cultura para o desenvolvimento da nossa cidade, já pode se sentir convidado a participar da Conferência nos dias 09 e 10 de agosto, a partir das 19h da sexta, dia 09, no NAPA (que se oficializará a partir da publicação do decreto do prefeito Fernão). 

 

FESTIVAIS DE INVERNO

Sempre aproveito o mês de julho e minhas merecidas férias para, entre outras coisas, visitar cidades da região e ver como estão seus festivais de inverno. Na última sexta estive em Amparo e Serra Negra, duas cidades de menor porte que a nossa, mas que organizam muito bem seus festivais. O de Amparo, o maior da região, há anos conta com atrações de renome nacional, além de muitas de renome regional. A Prefeitura mostra que investe bem em Cultura, o que se vê também pela preservação de seu patrimônio histórico. Chamaram também minha atenção os pontos de internet gratuita nas praças centrais da cidade. Já o festival de Serra Negra é bastante charmoso, embora menor que o de Amparo. O que ajuda é que as atrações se concentram nas praças centrais da cidade e se destaca o suporte dado pelos bares e restaurantes ao redor que literalmente “abraçam a causa”. O festival também conta com algumas atrações de renome nacional e variadas atrações regionais de qualidade. Por aqui o nosso festival vem crescendo a cada ano e a maior prova disso é o público. As atrações estão cada vez mais lotadas e nos locais fechados está até ficando difícil conseguir ingressos, o que é muito bom. Precisamos agora aumentar as iniciativas de ocupar e lotar as praças públicas. Nesta área o destaque é o Happy Hour musical na Praça.

 

BADERNA CULTURAL FINALMENTE O MUSEU

Depois de dois anos de goteiras e uma reforma morosa, finalmente a reforma do Museu Municipal será entregue pela mesma empresa que reformou (e demorou) o antigo prédio do Matadouro. Bom, pelo menos foi tudo prometido pra próxima sexta, dia 19. O prédio do Museu é um dos patrimônios municipais tombados pelo Condephac.

 

PRA FINALIZAR

“Você pode descobrir mais sobre uma pessoa em uma hora de brincadeira do que em um ano de conversa.” (Platão)

 

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player