O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

É, FERNÃO...

O prefeito Fernão Dias venceu nas urnas, quase perdeu nos tribunais, mas no fim das contas, venceu novamente. Os chedizistas, ainda esperneando e lamentando, dizem que os petistas não perdem por esperar o TSE. Questões judiciais e polaridades à parte, agora mais do que nunca o Governo Fernão pode e será cobrado pelas promessas que fez durante a campanha e já durante esses dias no Santo Agostinho.

 

AS PROMESSAS SERÃO CUMPRIDAS?

Os tablets na Educação? A questão do Green Park? O desassoreamento do Lago? Maior agilidade nos atendimentos médicos? O tal bilhete único? Incentivos ao esporte que não só o futebol? A reforma do Carrozzo?

 

BOLAS PRA FORA

O que o governo já fez que poderia ter sido evitado, ou não fez que já poderia ter feito? Contratou muita, muita gente, inchou vários setores e pastas da administração; não extinguiu os cargos de secretários especiais de gabinete; não colocou em prática seu projeto para abaixar o custo do transporte público; aumentou o número de alunos nas salas da Rede Municipal; deixou a empresa explorar a nossa cidade na Festa do Peão pagando um mínimo de impostos; esbanjou recursos públicos no pagamento de horas-extras e compra de “lanchinhos” no carnaval e Festa do Peão; não elaborou um plano para o desenvolvimento cultural da cidade; colocou pessoas sem o devido preparo para assumir cargos importantes, como na secretaria de cultura. Estes são alguns exemplos.

 

BOLAS PRA DENTRO

Finalmente, após anos e anos de promessa de diferentes governos, o Diário Oficial do Município saiu. Os números sobre o quanto economizaremos são vistosos, fontes da Prefeitura falam em 70% a 80%. Tomara que tudo dê mesmo certo. Mas nessa economia, precisa ver se foi levado em consideração o elevado número de contratações feitas para a divisão de imprensa e assessorias de imprensa de diversas secretarias. Outra coisa importante que está sendo feita, embora polêmica, é a revisão da evolução dos professores e educadores da Rede Municipal. Esta herança do Governo Jango foi uma verdadeira bucha, mas depois de resolvida, seria muito importante que um plano de carreira fosse desenvolvido de verdade, em conjunto com o setor, para que o professor seja incentivado a ampliar e melhorar sua formação.

 

DIMINUIU O IMPOSTO, ABAIXOU  O PREÇO

Depois da presidenta Dilma ter abaixado as alíquotas do PIS e Cofins de 3,65% para zero sobre as passagens, algumas cidades abaixaram o preço. Em São José dos Campos, baixou de R$ 3,30 para R$ 3,20. Legal, né? Nem um pouco. Principalmente se você considerar que há quatro meses São José tinha acabado de aumentar a sua passagem, que antes do aumento custava R$ 2,80. Com o aumento, acima da inflação, tinha passado a ser uma das mais caras do Brasil! Isso porque lá o governo é PT.

 

E POR AQUI?

Quando querem aumentar a passagem em Bragança, a estratégia é sempre a mesma: a empresa pede X, a Prefeitura muito boazinha concede um reajuste menor do que X. Aqui o assalt..., digo, aumento pedido é pra R$ 3,40. E agora com a queda dos impostos?

 

ABAIXOU NA JUSTIÇA

Muitas cidades abaixaram o preço por meio de ações da Justiça. Em algumas delas, a Promotoria entrou com a ação, em outras os vereadores. No caso desta última, foi por intermédio de dois vereadores do PSOL que entraram com ação cautelar que a tarifa de Porto Alegre, que tinha aumentado para R$ 3,05, voltou a custar R$ 2,85. Alô, vereadores bragantinos! Já em Goiânia, o Procon está exigindo a devolução da diferença paga pelos passageiros.

 

QUEREM DESQUALIFICAR O MOVIMENTO

Muitas são as formas da mídia, a serviço dos interesses políticos dos governos, desqualificarem protestos e manifestações populares. Qualquer pessoa de bom senso é contra o “quebra quebra” e a violência, mas nem toda manifestação é ou termina assim. Existem também os “infiltrados” que estão ali pra gerar o tumulto para apenas colocar o manifesto em descrédito e justificar a truculência da polícia. Vale lembrar que existem policiais que agem de forma não-violenta nesses casos. Outra coisa que é moda e senso comum é dizer que “os playboys” que andam de carro estão ali só pra tumultuar. Quem disse que quem não usa o transporte público não pode fazer coro e voz em prol dos que dele necessitam? Questões como essas vão além do fazer ou não uso, ou ter um interesse direto, são problemas que afligem toda a sociedade.

 

GREVE UNIFICADA NA UNESP

Dentre as mobilizações que estão ocorrendo em nosso Estado e vêm sendo “abafadas” pela Copa, está a greve nos campi da Unesp. Até as últimas notícias, dos 24 espalhados pelo interior e capital, 14 já aderiram às paralisações. As principais reivindicações estão na defasagem salarial, tanto de servidores, quanto dos professores, ambos exigindo uma equiparação com os salários pagos na USP. Nada mais certo, já que as duas são estaduais. Bonito de ver é a adesão dos alunos nessas questões, unidos ao funcionalismo em prol da qualidade no Ensino Superior público. Aproveitando o assunto, sempre é bom lembrar das “eternas” promessas dos políticos de trazer um campus da Unesp pra Bragança.

 

VAI TER ACARAJÉ NA COPA?

A Fifa tinha proibido a venda de acarajés nos jogos na Bahia da Copa do Mundo. Somente empresas autorizadas poderiam comercializar alimentos no estádio e arredores. As baianas e seus acarajés, tombados como patrimônio cultural baiano, deveriam ficar a dois quilômetros dos jogos. As mesmas regras valeriam para a Copa das Confederações. A entidade acabou recuando e, por fim, os quitutes poderão ser vendidos na Fonte Nova reformada com o nosso dinheiro. Só faltava não poder mesmo. E depois falam que a Copa é dos brasileiros.

 

PRA FINALIZAR

“A experiência nunca falha, apenas as nossas opiniões falham, ao esperar da experiência aquilo que ela não é capaz de oferecer.” (Leonardo da Vinci)

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player