O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Vereador Paulo Mário depõe na CEI da ABBC

Matéria publicada na edição de 30 de junho de 2018

 

Na tarde de segunda-feira, 25, os vereadores que integram a CEI (Comissão Especial de Inquérito) que está investigando os contratos da ABBC (Associação Brasileira de Beneficência Comunitária) na gestão anterior voltaram a se reunir. Desta vez, eles colheram o depoimento do vereador Paulo Mário Arruda de Vasconcellos.

Em 2015, Paulo Mário apresentou na Câmara um requerimento solicitando que os contratos da ABBC com a Prefeitura fossem investigados. “Quando foi aprovado o projeto de lei para a terceirização do setor, fiquei receoso, mas devido ao posicionamento de todos os vereadores, votei favorável. Em seguida, tivemos a participação de uma cidadã em Tribuna, que apresentou uma série de argumentos contra a ABBC, e a partir daquele momento comecei a fazer diligências nas unidades de saúde e a colher informações de funcionários e usuários da rede”, explicou Paulo Mário.

O vereador contou também que chegou a ser procurado por algumas pessoas que diziam ter provas sobre ações irregulares da organização social, mas que acabaram desistindo de prosseguir com as denúncias. “Ocorreram situações estranhas, como um denunciante que fez denúncias graves, mas depois voltou atrás e até mudou o número de telefone e pediu que eu esquecesse tudo que fora dito, pois estava com medo das ameaças que vinha sofrendo. O segundo fato que me deixou chocado foi a abordagem no prédio da Câmara por um senhor que se identificou como advogado e pediu que eu parasse com as investigações em troca de apoio financeiro para a minha campanha”, afirmou.

Também deu seu testemunho sobre a situação o diretor do Departamento Jurídico da Câmara Municipal de Bragança Paulista, Romeu Pinori Taffuri Júnior, que acompanhou o vereador Paulo Mário. “Lembro que o vereador Paulo Mário estava muito empenhado em manter a investigação à época, até que um dia recebeu uma ligação convidando para uma conversa e pediu que eu participasse. Era uma médica que dizia ser contratada pela ABBC e que estava acompanhada de duas advogadas, e relatou várias irregularidades da OS. Na conversa, a senhora também se propôs a apresentar documentos comprometedores, mas nunca mais apareceu”, contou Romeu.

Na próxima segunda-feira, 2, a partir das 14h, a CEI realiza nova reunião. A diretora da ABBC, Maria Gorete Pinafi Heged, foi convidada a dar seu depoimento. Os interessados podem acompanhar os trabalhos presencialmente ou pela internet, por meio do site da Câmara: www.camarabp.sp.gov.br.

 

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player