O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Vendendo votos? Quanto Custa?

E assim caminha a campanha política... Salvo os bons exemplos que pedem adequadamente e sinceramente o voto, alguns maus exemplos vão assombrando a campanha 2012 em nossa cidade. Só existe político inepto, ruim ou corrupto, porque existem igualmente, eleitores ineptos, ruins, corruptos e, cruéis com sua cidade e seu povo, independentemente do motivo. O mau eleitor é o espelho do político vagabundo.

Pouca gente tem coragem de dizer, mas existem eleitores ineptos, ruins e cruéis, sim! , sendo que alguns chegam à baixeza de vender o próprio voto. Quando um eleitor desse pensa que está vendendo o voto, está, na verdade, traindo os valores mais caros do país e da pátria e, ao mesmo tempo, assinando um contrato de servidão, cujo preço será um governo sem compromisso com a causa do povo e uma administração pública corrupta e ineficiente. Lembre-se: não existe o político vagabundo sem que exista o eleitor sem-vergonha que venda o seu voto.

Diz-se que a eleição de políticos imprestáveis decorre do analfabetismo ou da má formação escolar do povo brasileiro. Mas eu discordo em partes, pois muitos eleitores são cidadãos exemplares, bons pais de família, excelentes profissionais e pessoas cumpridoras dos compromissos morais, sociais e financeiros, independentemente do nível escolar, renda, origem ou região em que vivem.

Tal comportamento, eu entendo que só pode ser creditado a uma deformação moral generalizada que inclui um individualismo torto, que, em vez de assumir compromisso com a coletividade, prefere a obtenção de vantagens pessoais ilícitas, em desfavor de outras pessoas.

E assim, por causa do voto de legenda, o eleitor que vota num “comprador de votos”, tem que se responsabilizar pelo fato de que, além de eleger uma nulidade que não tem o menor traquejo para defender os seus direitos, necessidades e aspirações, pode estar elegendo com ele um bando de políticos tão oportunistas quanto vagabundos, que vão se eleger a custa do voto “comprado”, ou a troco de um prato de comida em seu restaurante ao até mesmo por R$ 50 em combustível. 

Valorize seu voto. Ele vale mais que uma refeição, caso contrário, ele só vai servir de alimento para eleger mais um vereador corrupto em nossa judiada política.

 

Falando em Rádio FM - “E eu te disse, hein?!” Provando meu comentário há alguns dias quanto à Rádio Norte FM 105,9, a emissora acabou sendo multada por não colocar o horário político obrigatório em sua programação adequadamente. Embora seja obrigada a transmissão da propaganda eleitoral, a rádio deixou de apresentar seis blocos de inserção, alegando posteriormente problemas técnicos, o que não foi aceito pelo juízo eleitoral, que acabou condenando a Rádio (Associação Comunitária de Comunicação e Cultura de Bragança Paulista) à suspensão de sua programação por 24 horas. Como dizia o velho guerreiro Chacrinha, “Quem não se comunica, se trumbica”.

 

Falando em Horário Eleitoral – Por que será que o candidato do PSDB, João Carlos, não usa, de forma nenhuma em sua campanha, a imagem do presidente de seu partido e atual prefeito da cidade Jango? Quem não apoia quem?  Ou quem apoia quem? É muito estranho (para não dizer outra coisa) um candidato escolhido pela situação não querer ser vinculado com quem compartilhou seus trabalhos durante toda a administração. Muito embora saibamos que “cada um é cada um” e “uma coisa é uma coisa”.  Se é que vocês me entendem...

 

Falando em Horário Eleitoral – Parece piada de mau gosto quando o candidato do PSB Gustavo Sartori fala em “orçamento participativo”. Será que o grupo dele sabe mesmo o que é isso?

 

Falando Nisso - A mentira anda tão constante em alguns ambientes políticos, que a verdade já se faz duvidosa...

 

Falando em Samba – Uma galera de compositores e intérpretes de nossas escolas de samba de Bragança está representando muito bem nossa cidade no melhor carnaval do mundo! É isso aí, a galera comandada por Jéferson, Genardão, Édson Português, Claudinho Pédico, Boca, Haroldo, Jamerson e outros sambistas bragantinos já passaram por três eliminatórias da escolha do samba-enredo da grande escola carioca Estácio de Sá. Parabéns, moçada! É bom lembrar que estão todos indo na raça e no coração sem contar com apoio político de ninguém. 

 

Falando em Política e Samba – Durante toda essa semana, a Liesb (Liga das Escolas de Samba de Bragança Paulista), em ato democrático recebeu todos os candidatos a prefeito de Bragança em reuniões separadas, um a cada dia, sendo que tal evento teve a intenção de os dirigentes das escolas conhecerem um pouco mais os candidatos e seus projetos, bem como poderem ou não se tranquilizar quanto ao carnaval bragantino.

 

Falando NissoFred Zenorini – Mesmo sendo do PSTU e PSOL, Fred se colocou à disposição de continuar com o carnaval garantindo às escolas de samba o aval no projeto em que a Liga entregou e que irá trabalhar para uma melhor distribuição do orçamento da cultura sem prejudicar qualquer agremiação. Fred chegou no horário marcado e foi muito bem.

 

Falando nissoFernão Dias – Embora não tenha conhecimento de carnaval como ele mesmo disse, Fernão também se comprometeu em continuar a parceria com a Liesb valorizando as escolas de samba e seus projetos, bem como achou viável o projeto apresentado pela Liga, garantindo assim a realização do Carnaval 2013. Fernão Dias também chegou no horário marcado e demonstrou total apoio ao carnaval bragantino.

 

Falando nissoFrangini – Demonstrou estar muito bem preparado e a par do projeto e do orçamento a ser investido. Garantiu a continuidade da festividade, apresentou projetos e disse ter equipe experiente em carnaval para realizar o evento a cada ano melhor e com muito mais divulgação dos eventos da cidade. Frangini também chegou no horário marcado e foi muito bem assessorado.

 

Falando nissoJoão Carlos Carvalho – Com experiência, disse estar sempre ao lado das escolas de samba e que, enquanto vereador, votou sempre a favor do carnaval, sendo autor de várias leis que favoreceram o crescimento do carnaval bragantino. João Carlos também se comprometeu a realizar o evento, de acordo com o projeto da Liesb, desde que as escolas também se comprometam com a sua administração. Ele também chegou no horário combinado.

 

Falando nissoGustavo Sartori – Xiiiiii... Esse deu bolo! É isso aí! Mesmo com reunião agendada com uma semana de antecedência, com horário escolhido por ele, o candidato ainda deu um chá de cadeira de quase duas horas nos presidentes, para depois mandar quatro assessores dizendo que estava em outro compromisso mais importante. Bem... Se enquanto candidato já está tratando a cultura desse jeito, imagine se for eleito... 

 

Dúvida – Com isso, todos os representantes das agremiações ficaram em dúvida, afinal Gustavo foi o único que não deu a garantia de realizar o Carnaval 2013, visto que o evento será logo no início de fevereiro. Oras bolas! Não é ele que disse estar valorizando a cultura de nossa cidade? É desse jeito? Isso é falta de responsabilidade e organização, sem falar na péssima assessoria que está ao lado dele! E falando em péssima assessoria, Bragança já sabe muito bem o que é isso, pois quando um prefeito é mal assessorado a administração vira um caos. Que coisa, hein?! E depois vem aquele candidato a vereador do PSB, que era de escola de samba, dizer que seu candidato a prefeito vai ajudar as agremiações...  Sai fora, Mané!

 

É OURO! – Festa da Linguiça – Estive presente e achei sensacional! Local pequeno, mas muito aconchegante, com boa música, boa comida, enfim muito agradável e tem tudo para dar certo. Essa que foi a 4ª Festa da Linguiça (porém chamada de 2ª) e teve profissionais envolvidos na coordenação com a Secretaria de Cultura e Turismo do amigo Raul Lencini. Parabéns à Lilian Florêncio, da Engenharia Cultural, que teve participação fundamental no sucesso do evento!

 

É LATA! – É irritante e chegam a doer os ouvidos alguns jingles políticos gravados por alguns candidatos nesta eleição, não é só em Bragança, mas aqui tem cada um que Deus me livre! Pior que algumas músicas ouvidas por aí, são alguns políticos que estão fazendo paródia com elas... E o problema não é só esse, o fato é que certos produtores musicais amadores de fundo de quintal, por terem um computador no seu quarto, acham que têm um estúdio e podem gravar qualquer coisa e por qualquer preço. Aí acaba dando esse resultado horrível que somos obrigados a ouvir pelos quatro cantos da cidade.

 

Falando Nisso – Quem quiser um trabalho profissional e que dê resultados positivos em sua campanha, vai uma dica, “Instituto Fabiano Pires”, fica ali na Rua 21 de abril, nº 71, no Matadouro. Você vai perceber a diferença desde o momento em que conhecer o local e conversar com os profissionais que lá trabalham. Fica a dica.

 

Frase – “Vida é o que acontece lá fora numa sexta-feira, quando você decide ficar em casa”.

 

Piada – O vizinho entra na casa do português e o encontra com uma corda amarrada na barriga:

— O que é isso? Por que está com essa corda amarrada na barriga?

— Vou me suicidar!

— Mas com uma corda amarrada na barriga?

— Pois é! Eu coloquei no pescoço, mas começou a me faltar o ar!

 

Até a semana que vem.

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player