O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Eliminar 51 quilos em um ano é possível?

Matéria publicada na edição de 30 de dezembro de 2017

 

Com força de vontade e acompanhamento profissional adequado, cabeleireira prova que sim

 

Vai chegando o fim do ano e muitas pessoas costumam fazer promessas para o ano que está prestes a começar. Economizar dinheiro, trocar de emprego, iniciar um curso de capacitação, parar de fumar, terminar um namoro, arrumar um(a) namorado(a), se organizar melhor, enfim, quem nunca iniciou o ano prometendo que iria mudar de atitude com relação a alguma coisa? E nessa lista, é claro, há os que prometem emagrecer.

Dados da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), com base em entrevistas realizadas de fevereiro a dezembro de 2016, mostram que a cada cinco brasileiros, um está obeso. Além disso, mais da metade da população brasileira está acima do peso.

Para muitos, a obesidade é encarada como um problema de estética. Porém, ela vai muito além disso, pode acarretar problemas muito sérios de saúde.

O Jornal Em Dia conversou com a cabeleireira Viviane de Souza, 39, que passou por uma transformação significativa em sua vida. Ela perdeu, em um ano, 51 quilos.

“Nunca tive problema com peso. A partir dos 15, 16 anos, comecei a fumar e ficar mais sedentária. Quando tinha mais ou menos 24 anos, me vi na necessidade de parar de fumar. Tive uma segunda gestação e foi quando piorou um pouquinho minha correria, não conseguia muito lidar com a situação e comecei a engordar. Por 10 anos, fiquei obesa. O meu peso máximo foi 108 quilos”, contou.

Viviane tem 1.57,5 m de altura e disse que tentou fazer algumas dietas mirabolantes, sem acompanhamento, que acabaram não adiantando. Ela só conseguiu realmente começar a emagrecer depois que começou a frequentar as reuniões semanais da SOS Vida Nova e começou a levar as informações passadas a sério, no ano de 2016.

De acordo com Viviane, as reuniões se alternam com motivadores e nutricionistas e acontecem geralmente em salões paroquiais das igrejas. Ela, por exemplo, vai às reuniões da Igreja de São Benedito, que são realizadas às segundas-feiras.

A cabeleireira disse que comia muita fast food, e sua alimentação era completamente desregrada, geralmente fazia uma alimentação por dia, e aí comia tudo o que tinha direito. Isso por conta também de sua vida profissional, muito agitada. “Essa vida desregrada já não existe mais”, declarou, contando que agora faz cinco refeições por dia.

Outro ponto importante, conforme destacou Viviane, é que ela começou a comer legumes que antes não comia, ou seja, variou as opções e também prepara as refeições adiantadas, cozinha num dia comida suficiente para dois, por exemplo. Ela também uniu a alimentação mais saudável a exercícios físicos. No momento, ela está frequentando academia, praticando natação e começou a fazer dança de salão.

A variedade se explica no fato de que o corpo parece se acostumar, com o tempo, às atividades praticadas e, então, fica mais difícil eliminar a mesma quantidade de quilos que já se conseguiu no início. “Porque quanto mais você perde, mais é difícil você perder”, explicou, destacando, ainda: “Melhorou a aparência, a autoestima, é maravilhoso. Eu só tenho a agradecer, Deus em primeiro lugar, que dá força pra gente, sou muito apegada com Deus. E todos os profissionais envolvidos que estão me ajudando, tanto na parte da alimentação, como na atividade física e também na parte mental, porque é um conjunto. Só uma coisa não vai resolver”.

Ela também aconselhou que as pessoas devem se organizar e não arrumar desculpas para praticar atividades físicas. Seja de manhã, à tarde ou à noite, o importante é persistir.

Para Viviane, também há uma diferença entre comer e se alimentar. “Uma coisa é você comer, sem controle, outra coisa é você se alimentar. Hoje, eu me alimento. Nem como comidas tão gostosas, prazerosas, mas eu escolhi isso para a minha vida. A minha intenção é alimentar meu corpo para ele funcionar, é uma funcionalidade. Antes eu comia por prazer”, afirmou, acrescentando que já sente diferença em sua saúde e também na pele e nos cabelos.

E, falando em saúde, foi por isso que Viviane decidiu procurar ajuda para emagrecer. Um médico a orientou a perder peso porque senão ela poderia acabar tendo de fazer uma cirurgia de hérnia de disco. Foi então que ela decidiu mudar de vida e iniciar a reeducação alimentar.

Com 108 quilos, Viviane usava manequim 54. Agora, ela usa 36 e disse que ainda tem como meta eliminar mais três quilos. Nas reuniões da SOS Vida Nova, a orientação é continuar frequentando mesmo após a eliminação de peso. “Para cada quilo que se elimina, é um mês de manutenção”, explicou, acrescentando: “É muita coisa. Estou supersatisfeita. Ficaram só as fotos, para eu nunca mais esquecer. Deus faz a nossa vida tão perfeitinha, a gente tem que cuidar desse corpo, a gente tem que ter cuidado com o nosso corpo. Isso serviu para eu me policiar, continuar me amando, hoje tenho uma autoestima muito boa. Eu cresci com isso”.

Viviane considera que a obesidade é uma doença e que, por isso, as pessoas têm de se conscientizar sobre a importância de levar uma vida mais saudável. “A nossa cabeça é que comanda o corpo. Então, isso é o que vai fazer a diferença, mudar a cabeça, se conscientizar que sem saúde, você pode ter o dinheiro que você quiser, mas se não tiver saúde, de nada vai valer o seu dinheiro. Tem gente que reclama que fazer dieta gasta muito. Eu acho que na verdade é questão de prioridade. O dinheiro que você vai comprar refrigerante, por exemplo, você pode comprar em frutas”, opinou.

A cabeleireira tem duas filhas, uma de 13 e outra de 23 anos. A reportagem quis saber como elas se adaptaram à nova forma de alimentação da mãe e se também aderiram a ela. Viviane contou que não pode forçar as filhas a também seguirem sua forma de alimentação, mas seu exemplo acabou fazendo com que elas também já prefiram uma carne grelhada a uma carne frita, e elas começaram a caminhar no Lago do Taboão. “Acho que a pegada é essa, o exemplo. O exemplo é tudo”, comentou.

Para finalizar, Viviane deixou uma mensagem de estímulo a todas as pessoas que estão acima do peso. “Eu acho que não pode deixar para amanhã. Tem que fazer hoje. Eu acho que o mais importante é a pessoa se enxergar e ver que ela está precisando de ajuda. O primeiro passo é o mais importante. Não fazer nada sem orientação profissional, porque senão depois volta. Ser feliz não tem preço. Você estar bem de corpo, alma, mente e espírito é tudo. Eu não trocaria essa minha vida por nada. Hoje, aprendi que a gente tem que, a todo momento, melhorar, não estagnar. Se você fica na mesmice, você nunca vai chegar a lugar nenhum. Eu já estou numa idade média, daqui a pouco vou chegar à maturidade, daqui a pouco vou chegar à velhice, então, já estou me preparando para ser uma pessoa ativa porque acho que o mais importante é a saúde. A saúde tem que estar acima de tudo. Eu estou muito contente e convido todo mundo a vir para esse lado saudável. E não deixar para segunda-feira, tem que fazer hoje. Vai valer a pena, isso eu garanto”.

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player