O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Vereador apresenta denúncia de perseguição e opressão por parte de superior de policiais militares

Matéria publicada na edição de 18 de maio de 2017

 

Oficial estaria orientando que PMs não combatam crimes, como tráfico de drogas, apenas apliquem multas e apreendam veículos

 

O vereador Ditinho Bueno expôs, na última terça-feira, 16, durante sessão ordinária da Câmara Municipal, uma situação grave que estaria ocorrendo em Bragança Paulista.

Ele contou que recebeu de policiais militares um ofício denunciando perseguição e opressão por parte de um oficial do 34º Batalhão da Polícia Militar do Interior, o qual estaria desmotivando todo o efetivo.

Ditinho leu o documento e disse estar bastante preocupado. Ele afirmou que irá procurar o comandante do Batalhão, tenente coronel PM Mário Pugliesi Falararo, a fim de apresentar o problema e colher explicações.

Confira o ofício elaborado por policiais militares e encaminhado ao vereador Ditinho Bueno:

“Excelentíssimo Senhor, 

Nós, policiais militares de Bragança Paulista, vimos por meio deste informar que estamos sendo perseguidos e oprimidos por um dos oficiais pertencente ao efetivo do 34º Batalhão da Polícia Militar do Interior (34º BPM-I).

O XXX (o nome do tenente foi preservado), em suas preleções e rondas aos seus comandados, tem por costume desmotivar todo efetivo, deixando bem claro que não é para os policiais fazerem nada, pois não ganhamos para isso.

O referido oficial nos diz que não é para ficar prendendo ninguém, e em especial, que não é para combatermos o tráfico de drogas no município.

Independente da equipe que efetua prisões quando ele está de serviço, de imediato ele aborda os policiais e os pune por estarmos realizando o nosso trabalho.

Importante lembrar que nós fizemos um juramento em defender a população e garantir a preservação da ordem pública.  O oficial, entretanto, chega a falar que não temos aumento salarial por culpa dos policiais que ainda trabalham e ficam correndo atrás de bandido, pois para ele o prioritário é apenas fazer fiscalização de trânsito, efetuando multas e apreensões de veículos.

Gostaríamos de salientar que somente no mês de abril tivemos dois homicídios na cidade, que provavelmente estão ligados ao tráfico de drogas, sendo muito estranho um oficial da Polícia Militar deixar bem claro que não quer que atuemos contra essa modalidade criminosa, que todos nós sabemos que é o alicerce e base para os demais ilícitos.

Diante da postura do oficial, ficamos de mãos atadas, pois além de fazer nosso serviço e arriscarmos por muitas vezes nossas vidas, ainda temos que se preocupar com esse oficial que sempre quer nos prejudicar por efetuarmos prisões no município, prisões estas dentro da legalidade. 

Quando uma viatura que está realizando patrulhamento no Centro e recebe uma denúncia de um popular ou até mesmo vai apoiar outra equipe em uma prisão em outro bairro, com certeza será punido pelo oficial.

Diante de todo exposto, que não chega a ser nem a metade do que estamos passando, peço a ajuda de Vossa Excelência, pois somos nascidos e criados nessa cidade e não conseguimos apenas ficar de braços cruzados e ver o crime prosperar em nosso município!”.

 

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player