O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Presidente nomeia novos servidores para o Controle Interno da Câmara

Matéria publicada na edição de 7 de fevereiro de 2017

 

A Imprensa Oficial de sexta-feira, 3, trouxe a publicação do Ato da Presidência 05/2017, da Câmara Municipal de Bragança Paulista. O documento trata da nomeação de novos servidores para as funções de Controlador Interno e Controlador Interno Adjunto no Legislativo bragantino.

O Jornal Em Dia conversou com a presidente da Câmara, vereadora Beth Chedid, nessa segunda-feira, 6, sobre a medida.

Beth explicou que os controladores internos trabalham diretamente com a presidência e, assim, acabam respondendo solidariamente por questões que eventualmente possam ter algum desdobramento, como apontamentos do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

A presidente disse que gosta e respeita o trabalho que vinha sendo desenvolvido pelas servidoras que até então exerciam as funções do Controle Interno, mas que se sente mais tranquila com os servidores que nomeou.

O Controle Interno foi criado em 2015 na Câmara, por meio de resolução que estabelece até 50% de gratificação nos salários. Na época, foram designadas para as funções as servidoras Margareth de Pieri e Érika Regina Leonetti. Agora, com o ato publicado pela presidente Beth, foram nomeados os servidores Romeu Pinori Taffuri Júnior como Controlador Interno e Valdênia Lugli de Souza como Controladora Interna Adjunta.

A reportagem quis saber de Beth o impacto financeiro da medida, já que os atuais controladores são chefes de departamentos da Câmara e, assim, têm remuneração consideravelmente superior a das antigas controladoras. “Acredito que não vai ter impacto financeiro porque não estou recebendo salário. Não estou dando despesa porque estou abrindo mão do meu salário”, disse Beth.

O salário dos vereadores atualmente é de quase R$ 12 mil. O Jornal Em Dia então perguntou se seria esse o valor a ser desembolsado pela Câmara com as novas nomeações, mas a presidente preferiu não comentar, garantindo: “A Câmara não vai ter despesa com a folha de pagamento maior do que já tinha com o presidente anterior”.

A vereadora ressaltou que apesar de ter escolhido não receber salário, também quer evitar que o exercício do cargo lhe traga futuros problemas, por isso, escolheu os servidores em questão para o Controle Interno.

“Acho que a experiência conta muito e me sinto mais segura com a experiência jurídica e do financeiro que eles têm”, disse Beth, referindo-se a Romeu e Valdênia.

PRIMEIRA SESSÃO DO ANO

Beth também comentou o início dos trabalhos legislativos. Nesta terça-feira, 7, será realizada a primeira sessão ordinária do exercício. “Acho que a Câmara vai ter um papel muito importante de ajudar a colocar a cidade nos trilhos novamente”, observou.

Dentre as iniciativas previstas, a presidente destacou a implantação da Escola do Parlamento, que pode se concretizar ainda neste ano. Um dos frutos dessa iniciativa será a capacitação dos vereadores em diversas áreas, o que deve enriquecer os debates no Legislativo, apontou Beth Chedid.

 

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player