Aulas na escola estadual do Jardim Águas Claras começam nesta segunda-feira

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Aulas na escola estadual do Jardim Águas Claras começam nesta segunda-feira

Nesta segunda-feira, 22, vão começar as aulas na escola estadual construída entre o Jardim Águas Claras e o Henedina Cortez. A informação veio de pais de alunos que foram informados que a unidade vai entrar em funcionamento e foi ratificada pelo dirigente regional de ensino, Salim Andraus Júnior.

De acordo com o professor Salim, a unidade foi concluída e apenas a quadra ainda passará por reparos, especialmente com relação ao telhado, que foi danificado durante um temporal. As carteiras e todo o material necessário para o funcionamento da escola também já estão no local.

A capacidade da unidade, que conta com oito salas, é para 840 alunos. Neste início de ano, porém, ela tem matriculados 502 estudantes, do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental, nos períodos da manhã e tarde. Por isso, os pais que desejem pedir transferência de outra escola para a do Águas Claras devem procurar a unidade, a partir de terça-feira, 23, orientou Salim.

A obra é fruto de parceria entre a Prefeitura e a Secretaria Estadual da Educação e vem se arrastando pelos últimos anos. Recebeu investimentos de R$ 2,6 milhões e foi executada pela empresa TD Construções, Redes e Instalações de Gás Ltda. EPP.

O dirigente regional de ensino disse estar feliz com o início de funcionamento da escola e classificou o fato como uma conquista para o bairro. “Estou muito feliz com essa conquista e venho pedir a colaboração da comunidade para a preservação da escola, pois ela é um patrimônio do bairro, dos que hoje vão estudar lá e dos filhos dos filhos deles. Peço que os pais acompanhem a vida escolar dos filhos de perto e desejo boa sorte, que esta seja uma boa escola para aquele bairro”, declarou, acrescentando que a unidade estará aberta a receber colaboração da comunidade.

MERENDA ESCOLAR

Os alunos da rede estadual continuam recebendo a chamada “merenda seca”, composta por bolachas, achocolatados e sucos.

Na noite da última quinta-feira, 18, o Jornal Em Dia recebeu um e-mail da Secretaria Estadual da Educação declarando apenas: “A Diretoria Regional de Ensino de Bragança Paulista confirma o rompimento do convênio de alimentação e afirma que os alunos de todas as escolas da região estão com a merenda garantida até que a nova contratação seja concluída”.

Na edição de quinta-feira, 18, o Jornal Em Dia publicou matéria em que a vice-prefeita e secretária municipal de Educação, Huguette Theodoro da Silva, informou que o governo estadual já sabia, desde 31 de agosto de 2015, que o convênio para o fornecimento de alimentação escolar não seria renovado. Mesmo assim, não organizou a licitação para o serviço em tempo hábil, deixando milhares de alunos sem merenda adequada.

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player