O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

2015 musical

O ano musical de Bragança Paulista começou pra valer no final de janeiro com o show do lendário vocalista do Iron Maiden, Blaze Bayley em uma de suas várias passagens por terras brasileiras, desta vez, trouxe o clássico heavy metal à cidade.

No mês de março, o power trio do I Am The Sun lançava seu EP de estreia e convidava para essa festa os paulistanos do Projeto Trator e Stand Free, uma noite regada a muito stoner rock! Os gaúchos do Cachorro Grande também tiveram sua apresentação por aqui, colocando fãs pra cantar. Os iniciantes do Ranho e Lesão Corporal chamaram atenção na abertura do show do Olho Seco que comemorava 35 anos de carreira e trazia o punk rock aos envolvidos. Mas quem, literalmente, roubou a cena foram os brasilienses do Galinha Preta que fizeram um show veloz e cômico. Numa turnê conjunta com o Lisabi, o duo de New Orleans o Caddywhompus trouxe uma pegada enérgica pra finalizar o mês de maio.

O Rarozine Fest trouxe uma mistura de estilos para o festival ao decorrer dos meses, como o hard rock puro do Gasoline Special e o trio do Lo Fi. de São José dos Campos que destilou seu punk rock ligeir e os queridos do Bacantes.  Teve também o Sky Down ao lado do Poltergat, o hard core melódico do Betterman, Projeto Trator e seu sludge, a finesse de garage rock do Thee Dirty Rats, o hard core do Chcl, o crust do Deaf Kids, a viagem psicodélica do Hierofante, além de muitas bandas da região como Churumi, Deskraus, Crasso Sinestesico, Loromudo, Big Motor, Sonora Scotch, Facka e a estreante The Lost Lions.

Junho trouxe os mossoerenses do Catarro que num show insano ao lado dos paulistanos do O Cúmplice fizeram a festa na Casa Auá junto com o Leptospirose. O Death metal foi representado pela vinda do Krisiun com certeza um dos maiores expoentes do estilo no mundo, um show pesado repleto de clássicos e novas canções, e também com um fechamento que vem a calhar nos dias atuais como versão de “No Class” do finado Lemmy do Motorhead.

Na terceira edição do festival Meninas pra Frente, a adrenalina subiu com a presença dos sergipanos do Renegades of Punk, após um hiato de seis anos que não tocavam na cidade. A demora teve seu lado bom, porque o transformou num dos melhores shows no ano. O festival ainda trouxe os paulistanos em ascensão do Deb and the Mentals, que empolgou muitos ali.

O festival Abrigo Atômico realizado pela primeira vez nestas bandas trouxe a volta do lendário grupo Head Ache, além do próprio Attack Force, organizadores do evento. Em novembro os portugueses do Besta fizeram seu debut em terras nacionais e nesta turnê escolheram viajar com O Cúmplice, com o qual percorreram várias cidades do interior paulista, RJ, SC, MG e acabaram finalizando em um dos fests do Raro Zine, um show brutal pra ficar na cabeça durante um bom tempo.

Em dezembro o Cardápio Underground fechou as atividades anuais com dois dias de festival realizado na Casa Auá, com a presença de bandas locais como as Framboesas Radioativas, Loromudo, Óleo sobre Tela, Nuclewar, Blank War entre outros. 2015 foi um ano que teve de tudo, para muitos gostos, e a certeza de que o cenário sempre anda se movimentando.

German Martinez

http://www.rarozine.com.br/

https://instagram.com/rarozine/

https://www.facebook.com/rarozine

 

 

 

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player