O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

A vergonha de pedir o “voto sem-vergonha”

Bem, as eleições estão chegando e os partidos e seus candidatos já se apresentaram à população em busca de votos. Uma campanha ali outra aqui e vemos cada candidato querendo mostrar o seu valor e o que pretende fazer pela sociedade. Parece piada, mas é isso que todos dizem na campanha eleitoral.

Para a população está cada vez mais difícil. A propaganda eleitoral está cada vez menos amadora e, nas mãos de profissionais, chega a fato o que é ilusão. De um lado temos o candidato e de outro os eleitores e aí o marketing político se encarrega de tudo.

O voto tem que ser sério. E voto sério é aquele em que o eleitor endossa as propostas de determinado candidato e seu partido, por considerá-las melhor para sua cidade. Não se engane por aquele candidato que vai resolver tudo para você. De repente, ele vai salvar o mundo a troco de seu voto. Não acredite naquele que não tem vocação, não tem foco, ou seja, está em tudo e admite tudo a troco de votos, por exemplo, aquele candidato a vereador que um dia frequenta igrejas evangélicas e dá seu testemunho contra o carnaval, mas, no dia seguinte, está nas quadras das escolas de samba pedindo voto, dizendo que irá ajudar o carnaval. Oras bolas! Que candidato é esse que começa mentindo a si próprio e querendo enganar o eleitor? É esse o governante que você quer para sua cidade?

E tem mais, apesar da rigorosa legislação eleitoral que proíbe qualquer benefício ao eleitor em troca do voto, esse tipo de candidato irá abusar da ausência de fiscalização e da omissão de parte da população na busca pelo voto por meio de troca de favores e vantagens ao eleitor. Para isso, nem é preciso investigar muito. Se quiser comprovar é só andar pela cidade e ver o quanto esse candidato está plantando de mentiras e falsas esperanças na população. E, sordidamente, ainda aplica tudo isso naqueles que um dia chamou de “amigos”.

A lista de benefícios oferecidos por esse tipo de candidato em troca do voto inclui: promessa de carteira de habilitação, realização de torneios, tratamentos dentários, doação de material esportivo, distribuição de combustível, doação de material de construção e, até o principal, a famosa promessa de emprego (que jamais irá cumprir, pois promete a todos), cargos e assessorias para os cabos eleitorais mais dedicados.

Infelizmente, nesse mercado negro em que figuram o eleitor ambicioso (que se torna ignorante) e o político criminoso (que se acha o espertalhão), a mercadoria é a consciência das pessoas e as consequências são mais quatro anos de abandono, de total ausência de representantes voltados a discutir a melhoria da qualidade de vida da sociedade. 

Lembre-se: o político que praticar a compra de votos pode ser condenado de um a quatro anos de prisão e aqueles que forem eleitos, além da perda do mandato, podem ficar impedidos de se candidatar a qualquer cargo público por oito anos, além de ter de pagar multa. O eleitor também pode ser responsabilizado criminalmente se for flagrado vendendo o seu voto ou se a prática for comprovada.

Cuidado com o falso aperto de mão. Olhe nos olhos e procure a verdade no seu candidato. Recorde-se que aquele que trabalha para esse tipo de candidato pedindo seu voto, ele, sim, está ganhando dinheiro e levando o seu voto, então, não venda seu voto, vote consciente naquele que você acredita ou que já demonstrou competência para merecer seu voto.

 

Falando em Política – Depois de tudo definido (ou quase, sei lá), as convenções municipais deram o start para a próxima eleição com algumas “peripécias” inesperadas... Candidatos espertalhões acabaram indo para local onde encontraram várias e várias “mulas” para carregarem votos para sua eleição. Se é que vocês me entendem...

 

Falando em Resultados – E, assim, definiram-se os candidatos a prefeito: Renato Frangini e Galileu de Mattos pelo Democratas e seus 12 partidos coligados; Gustavo Sartori (PSB) e Antônio Ricardo (PSD); Fernão Dias (PT) e Huguette Theodoro (PTB); João Carlos Carvalho (PSDB) e Maria Amália Gouvêa (PSDB); e Fred Zenorini (PSTU) e Renan Dias (PSOL).

 

Falando em Vereadores – Bem, quem deve ter gostado (e muito) da coligação entre PSB/PSD (Gustavo) foi um atual vereador do PSD que acabou, de última hora, arrumando uma “mulada” de votos do PSB por meio de outros candidatos que outrora se achavam os principais do partido. Agora, de repente, passaram de vinho para vinagre... Castigo?

 

Falando NissoJá em sua convenção o PSD demonstrou total desorganização, falta de comando, de estrutura, de conhecimento, enfim, foi uma “zona”. Se na convenção foi assim, imagine o resto...

 

Falando em Convenção – Não foi muito diferente a convenção do PT/PTB, pois, de última hora, vários militantes do PT não concordavam com a coligação e ameaçaram parar a convenção, mas, no final, tudo deu certo e, com os ânimos acalmados, indicaram seus candidatos.

 

Enquanto Isso... – As outras convenções correram com total tranquilidade e organizadas, algumas com poucas pessoas (PSDB e PSTU/PSOL) e outras com uma multidão aguardando o pronunciamento de seus candidatos (DEMOCRATAS).  Foi dada a largada, vamos ver até onde chegam...

 

Falando em Futebol – É, acabaram minhas piadinhas. O “Coringão” ganhou a Libertadores! Parabéns, hein?! Mas não entendi o porquê de tanto rojão na porta de casa,  o porquê de tantas mensagens no meu celular, afinal, eu sempre disse que esse dia chegaria! Demorou um pouquinho, mas chegou! Vai, Curíntia!

 

Falando Nisso – Um abraço pro Tição, da Morada das Pedras, e para toda a galera da “Capadócia”, que amanheceram comemorando o título e gastando todo o crédito de seus celulares me enviando mensagens muito educadas! Adorei!

 

Falando em Sai não Sai – O prefeito anda meio perdido depois das convenções... É um tal de mandar embora e depois voltar atrás. Na verdade, ele nem deve estar sabendo o que está assinando e, assim, tem gente fazendo uma limpa no quadro de funcionários sem seu devido aval. O problema deve ser que o prefeito quer “tchu” e os “outros” querem “tchá”... Mas e aí, alguma novidade nisso?

 

Falando em Segurança – Essa semana, meu filho de 15 anos e duas amigas foram assaltados em plenas 9 horas da noite, quando voltavam para casa. O fato executado por dois marginais (possivelmente menores e drogados) aconteceu na Vila Motta. Até quando teremos que contar apenas com nossos anjos da guarda?

 

É OURO! – Diferente de várias ações da atual administração em eventos realizados na cidade, a Campanha do Agasalho 2012 foi um sucesso. Isso prova que tudo o que é bem planejado e organizado, com comando, o resultado tem grande chance de ser positivo.

 

É LATA! – Calote – E a Prefeitura, por intermédio de sua assessoria financeira, insiste em não pagar o restante da verba do Carnaval 2012 para as escolas de samba. Usando como argumento um processo referente à prestação de contas da Liesb de 2008, que até agora não teve seu julgamento, a Prefeitura vem, há todo esse tempo, fugindo de suas obrigações perante as escolas, que cumpriram o contrato e já prestaram suas contas. Conforme o presidente da Liesb, Paulinho, o Executivo nem mais o atende, dizendo sempre que está tomando as devidas providências e, assim, continuam com essa enrolação. Uma vergonha!

 

Frase – “Se fosse pra viver de sonhos eu nem tinha levantado da cama hoje.”

 

Reflexão da semana – “Na infância, me mandavam engolir o choro; na adolescência, tive que engolir sapos; agora me obrigam a engolir o orgulho. E depois ainda perguntam por que estou engordando”.

 

Piada – O médico atende um velhinho milionário que tinha começado a usar um revolucionário aparelho de audição:

— E aí, seu Antônio, está gostando do aparelho?

— É muito bom.

— Sua família gostou?

— Ainda não contei para ninguém, mas já mudei meu testamento três vezes.

 

Até a semana que vem!

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player